Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Mercado de capitais destinados ao setor imobiliário cresceu quase 50% em 2011

E-mail Imprimir PDF

O estoque de recursos do mercado de capitais destinados ao setor imobiliário cresceu quase 50% em 2011, para R$ 37 bilhões, de acordo com estudo da Colliers International Brasil.

Segundo a consultoria, o grande destaque do ano ficou com os fundos de investimentos imobiliários, responsáveis pela captação de R$ 6,7 bilhões – volume 134% maior do que o apresentado em 2010.

Escritórios e condomínios industriais
Ainda segundo a Colliers, o ciclo de mercado de escritórios de São Paulo deve entrar em superoferta em meados de 2015. “A tendência de continuidade de queda da taxa de vacância (desocupação), a partir de 2013, somada à previsão de pouca oferta de novos espaços, suporta a expectativa do cenário positivo”, afirma a consultoria.

O mercado de condomínios industriais no estado, por sua vez, registrou forte crescimento e, devido ao aumento de oferta que deverá ocorrer neste e nos próximos anos, estima-se que o ciclo deste mercado entrará no estágio de superoferta ainda em 2012.

Já para o Rio de Janeiro, o ciclo de mercado de escritórios aponta uma tendência de expansão até 2016, de acordo com a Colliers. “No que se refere a condomínios industriais, há previsão de forte impulso na demanda desses empreendimentos, devido à construção do Arco Rodoviário Metropolitano, que ligará o Porto de Itaguaí ao município de Itaboraí, vetor de crescimento de plataforma logística, fazendo com que o ciclo desse mercado permaneça em expansão”, explica a consultoria.

Instrumentos de captação
Para o estudo, a Colliers International Brasil considerou os quatro principais instrumentos de captação de recursos do setor imobiliário: LCI (Letra de Crédito Imobiliário), CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários), FIP (Fundo de Investimento em Participações) e FII ( Fundo de Investimento Imobiliário).