Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

FEIRÃO DA CAIXA TEM QUEDA DE 14% EM VOLUME DE NEGÓCIOS

E-mail Imprimir PDF
FOLHA DE S. PAULO - ONLINE - 26/04/2015  18h26
 
CLAUDIA ROLLI
DE SÃO PAULO
 
O feirão de imóveis da Caixa em São Paulo negociou, durante três dias de evento, R$ 3,02 bilhões, cerca de R$ 500 milhões a menos que o valor de 2014 –queda de 14%. O valor total divulgado pela instituição computa imóveis vendidos e negócios encaminhados pelas construtoras com compromisso de serem fechados nos próximos dias.
Neste ano, 46.239 pessoas passaram pelo Parque de Exposições do Anhembi (zona norte), local onde ocorreu o evento. Em 2014, foram cerca de 64 mil visitantes.
"O resultado ficou dentro de nossas expectativas, porque esperávamos um volume de negócios entre R$ 3 bilhões e R$ 3,5 bilhões", disse Paulo Galli, superintendente da Caixa em São Paulo.
O número de visitantes foi inferior, segundo explica, porque, no ano passado, o feirão aconteceu no feriado de 1º de Maio e teve três dias "inteiros" para o público visitar o local. "O primeiro dia de evento neste ano ocorreu na sexta-feira, dia 24, dia que não era feriado, então o volume de visitas foi bem menor [do que o primeiro dia da edição do feirão em 2014]."
Não há informações disponíveis ainda sobre o número de unidades negociadas. No total estavam à venda 82 mil imóveis na região metropolitana e na Baixada Santista, número 45% inferior ao disponibilizado em 2014.
O foco do feirão da Caixa deste ano foi o financiamento de habitação popular do programa Minha Casa, Minha Vida, com recursos do FGTS, e imóveis com valor máximo de até R$ 190 mil.
"Existe uma demanda grande por unidades habitacionais nessa faixa, com famílias com renda de até R$ 5 mil mensais. Elas querem sair do aluguel e têm incentivo com juros subsidiados do programa", disse o superintendente. "Esperamos que, no final deste semestre e início do próximo, já ocorra uma recuperação no mercado."
O setor neste ano enfrenta forte queda nas vendas, com nível de estoque mais elevado.