Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

SAIBA COMO ACERTAR NA COMPRA DO PRIMEIRO IMÓVEL

E-mail Imprimir PDF
(METRO² - Caderno do jornal METRO GRANDE VITÓRIA - Vitória, ES - 27/7/2015 - Matéria tem presidente da Fenaci, Joaquim Ribeiro, como uma das fontes)
 Metro Grande Vitória 70

Guia do primeiro apê. Com planejamento e disciplina financeira é possível investir em um apartamento antes de chegar aos 30 anos

O sonho da casa própria tem se tomado uma realidade cada vez mais possível para quem tem até 30 anos. Com opções de financiamento atraentes e liberação de crédito facilitada, mesmo com as últimas mudanças anunciadas pelo governo federal, esse público conta com condições ideais para deixar mais cedo o aluguel ou a casa dos pais.
Mas, antes de dar o primeiro passo em direção à porta de entrada do primeiro apartamento, é preciso seguir algumas dicas e calcular tudo o que será gasto no financiamento, nas parcelas e até no registro do imóvel e na mobília da casa. São custos que, muitas vezes, ficam de fora no momento de efetivar a compra.
O presidente da Fenaci (Federação Nacional dos Corretores de Imóveis), Joaquim Ribeiro, explica que o número de jovens em busca de oportunidades no mercado imobiliário aumentou nos últimos anos, mas nem todos estão realmente preparados para assumir longas prestações. "Agir por impulso não é a melhor decisão. Quem quer começar a pensar na compra precisa, antes de mais nada, conhecer as suas contas, os seus gastos e organizar um planejamento que vai comprometer boa parte da renda familiar", orienta.
 
"Quem quer começar a pensar na compra precisa, antes de mais nada, conhecer as suas contas, os seus gastos e organizar um planejamento"
JOAQUIM RIBEIRO,PRESIDENTI DA FENACI 
 
No Estado, a maioria dos jovens em busca do primeiro imóvel quer um apartamento de até dois quartos, com até 70 m², pequena infraestrutura de lazer e valor de até R$ 200 mil, explica o diretor da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado). "Quase 90% deles são jovens casais, que estão dispostos a comprometer a renda de forma conjunta e utilizam o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para dar a entrada", diz. 
Buscam, também, juros mais baixos e financiar o máximo possível do valor do imóvel. A dica é tentar financiar no máximo 70% do valor total e comprometer até 25% da renda com as parcelas. Além disso, reservar até 5% do valor para o gasto com as taxas para registro do imóvel no cartório.
Outra recomendação é não deixar, nunca, de visitar o local escolhido em vários dias e horários para conferir tudo o que há em volta do condomínio e do seu imóvel: barulhos, interrupções de trânsito, incidência da luz solar etc.
 
Planejamento rigoroso
 
Aos 27 anos, o engenheiro civil Felipe Loyola Tessari seguiu um planejamento de contas rigoroso para conquistar o seu primeiro apartamento, em Vitória. "Morava com os meus pais e, logo que comecei a trabalhar, vi que tinha condições de guardar até 60% do meu salário. Fui juntando dinheiro durante alguns anos, vendi meu carro e consegui dar uma entrada boa no imóvel. Financiei cerca de 30% do restante, e agora já está tudo quitado", conta.
 
"O segredo de tudo é planejar e saber economizar, É muito gratificante saber que consegui chegar lá tão cedo"
FEUPE lOYOLA TESSARI, ENGENHEIRO CIVIL 
 
Quitado e alugado. Isso mesmo. Felipe optou por não morar no apartamento e continuar juntando dinheiro para comprar o próximo. "Sempre foi meu objetivo ter uma renda fixa com imóveis, e decidi começar cedo. O segredo de tudo é planejar e saber economizar. E muito gratificante saber que consegui chegar lá tão cedo", comemora. 
PRISClLlA THOMPSON 
METRO / GRANDE VITÓRIA

Última atualização em Seg, 27 de Julho de 2015 16:37