Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

CAIXA QUER SE APROXIMAR AINDA MAIS DO CORRETOR DE
IMÓVEIS, DIZ DIRETOR DE HABITAÇÃO NO FORECI CURITIBA

Um dos pontos altos da 20ª edição do Fórum Regional dos Profissionais Corretores de Imóveis (Foreci) promovido pela Fenaci e pelo Sindimóveis-PR, dia 26/8/2017, em Curitiba, foi a palestra do diretor nacional de Habitação da Caixa Econômica Federal, Paulo Antunes Siqueira, que apontou números que sinalizam a retomada do mercado imobiliário e apresentou novidades tecnológicas que poderão vir a estreitar ainda mais as relações da instituição com os corretores de imóveis. Com dois painéis e três palestras, que reuniram especialistas do país e do exterior, o Foreci Curitiba pôde ser visto online pelo mundo todo graças ao empenho de um dos patrocinadores do evento, a empresa Rodobens Consórcios. Veja no final deste post como fazer para rever o Foreci Curitiba na íntegra.

Números animadores da economia e a possibilidade de o segmento imobiliário retomar brevemente a rota de crescimento foi a tônica das manifestações feitas durante o evento. O diretor de Habitação da Caixa seguiu a mesma linha em sua palestra, ressaltando o muito que há para crescer, num país onde o crédito imobiliário representa tão-somente perto de 10% do Produto Interno Bruto (PIB).

NOVA FONTE DE RECURSOS – “Para sair de 10% e chegar a, pelo menos, 20% do PIB, temos de buscar alternativas de fontes de recursos. A recém-criada LIG, Letra Imobiliária Garantida, será um papel que terá como objetivo captar recursos não só do mercado doméstico, mas também do mercado internacional. Recursos de longo prazo, baseados na segurança oferecida pelo nosso mercado imobiliário”, destacou.

A final de sua fala, Paulo Antunes Siqueira afirmou que tinha um presente para os corretores de imóveis e passou a demonstrar o potencial do simulador de crédito imobiliário disponível no site da Caixa. No simulador, explicou, a pessoa que quer financiar um imóvel deixa uma série de dados, como renda, idade, valor do imóvel e lugar onde o interessado reside.

De janeiro a maio de 2017 foram realizadas 33 milhões de simulações em todo o país, das quais 3,3 milhões só no Paraná, ficando a capital do Estado com 730 mil consultas, informou o diretor da CEF, acrescendo que a ferramenta terá sua ação ampliada, podendo, caso o cliente queira, fornecer um link para comunicação com o corretor de imóveis mais próximo.

“Nós estamos estudando otimizações nessa área. A Caixa pretende usar a tecnologia como um meio de reduzir o tempo de atendimento, com a possibilidade de o cliente financiar o imóvel ou cumprir quase todas as etapas por meio de um aparelho celular. Teremos como centro logicamente o atendimento dos senhores corretores de imóveis. Esse simulador tenderá a ser um CRM (Customer Relationship Management), ou seja, um modo de nos relacionarmos com os clientes. E isso estará à disposição de vocês, corretores de imóveis, muito em breve. É muito importante fortalecer parcerias com agentes do mercado imobiliário. E falar com os corretores de imóveis significa falar com trata diretamente com os nossos clientes”, afirmou.

A palestra do diretor da Caixa encerrou a programação matinal do evento, cujo painel de abertura tratou do “panorama do mercado imobiliário nacional e internacional”, reunindo o indiano Farook Mahmood, presidente mundial da Fiabci (Federação Internacional das Profissões Imobiliárias), e Rodrigo Luna, presidente da Fibci/Brasil. O painel se completou com a palestra “Padrões internacionais, organização profissional e progresso comercial", a cargo de Thijs Stoffer, presidente do Conselho Regulador da RICS (Royal Institution of Chartered Surveyors) para a Europa, Oriente Médio e África.

Ouvido pela TV Fenaci, canal da entidade no YouTube, na véspera do encontro, o presidente da Fiabci-Mundial, Farook  Mahmood, que é empresário bem-sucedido em Bangalore, no sul da Índia, afirmou que prevê grande crescimento para o mercado imobiliário brasileiro. “Um dos PIBs mais altos da América Latina, o Brasil é um bom destino para investimentos imobiliários, tanto no setor residencial quanto no setor comercial. A melhor coisa é vir ao Brasil e conhecer o país. E se decidir por um investimento,”, convidou Mahmood.

“APRENDER, DESAPRENDER, REAPRENDER” – Em sua fala, na abertura do evento, o presidente da Fenaci destacou que o ambiente é propício para a retomada do mercado imobiliário, pois apesar da situação política a economia tem mostrado sinais de melhora sem vários indicadores. A taxa Selic, exemplificou Ribeiro, caiu de 14,15% no final do ano passado, para 9,25% em julho, com os especialistas estimando que feche o ano em torno de 8% ou menos. Juros e inflação menores, frisou o presidente da Fenaci, trazem esperança para o mercado imobiliário e os cerca de 350 mil brasileiros que exercem no país a corretagem imobiliária. Ele destacou que há um potencial enorme no país para a atuação do corretor de imóveis, a começar por um déficit habitacional estimado em 5,8 milhões de moradias e um crédito imobiliário que representa tão-somente 9,8% do PIB.

O presidente da Fenaci lembrou ainda os desafios trazidos pela Era Digital, com as frequentes aparições de sites e aplicativos que incentivam os negócios imobiliários sem a intermediação do corretor de imóvel. Afirmou que o fator humano, representado pelo corretor de imóveis, nunca poderá prescindido numa negociação tão importante para o brasileiro, pois o imóvel é uma compra que não faz a qualquer hora. “O brasileiro”, salientou, “compra, em média, 1,2 imóvel por vida”.
Ribeiro advertiu, porém, que o corretor de imóveis, como todos os profissionais, tem de se aprimorar constantemente. No painel sobre o futuro da profissão, no final do evento, citou uma frase do escritor e futurista norte-americano, Alvin Toffler, falecido em 2016:  “O analfabeto do século 21 não será aquele que consegue ler nem escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender”.

A programação na parte da tarde foi iniciada pelo especialista em Marketing e Inovação Marcelo Dadian, que apresentou a palestra “O mundo está cada vez mais digital e o poder, na mão do consumidor” . Na sequência, o mentor de startups Allan Costa apresentou a palestra “Ciclos econômicos e o futuro de oportunidades”

“O futuro da profissão de corretor de imóveis” foi o tema do painel de encerramento do Foreci Curitiba.  Coordenado por José Roberto Infante Bonatto, presidente do Sindimóveis-PR, o painel teve como debatedores Joaquim Ribeiro, presidente da Fenaci; João Teodoro da Silva, residente do Sistema Cofeci-Creci, e Sérgio Porto, presidente da Fesecovi (Federação dos Secovis do Brasil).

No domingo, 27/8, Dia do Corretor de Imóveis, na sede campestre do Sindimóveis-PR, em Colombo, cidade próxima a Curitiba, foi realizado um grandioso almoço para festejar a data. No cardápio, costela bovina assada ao estilo fogo de chão. Na oportunidade, foi feita uma homenagem ao Sr. Plínio, corretor de imóveis que foi um dos pioneiros na fundação do Sindimóveis do Paraná.

O Foreci Curitiba pode ser revisto em dois vídeos que estão na TV Fenaci, canal de YouTube da Federação: Foreci Curitiba Manhã e Foreci Curitiba Tarde.

 



.


.
.