Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

PRESIDENTE DA CAIXA FALA SOBRE PARCERIA COM 
O CORRETOR E O QUE ESPERA NA ÁREA DE CRÉDITO 

Em entrevista ao site da Fenaci, o atual presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antonio de Souza, destacou papel que o corretor de imóveis tem em relação ao mercado e em especial no que se refere às transações efetuadas pela própria instituição. Souza revelou também expectativas para áreas de crédito imobiliário e de habitação. 

“O corretor é extremamente relevante para o mercado imobiliário, pois atua como consultor, deixando o comprador mais seguro da compra que irá realizar. É importante ressaltar a parceria que a instituição tem com os corretores na venda dos Imóveis Caixa. Hoje, mais de 25% das vendas dos nossos imóveis são realizadas através de corretores credenciados, o que torna a parceria cada dia mais forte”, disse.

Souza afirmou também apostar numa expansão mais rápida do crédito imobiliário, notadamente dentro do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. “A expectativa é de uma maior celeridade no crescimento dos financiamentos, que devem consumir um orçamento estimado em mais de R$ 15 bilhões no SBPE em 2018.”

Confira a íntegra da entrevista:

Dia 16/4/2018, a Caixa anunciou queda de juros no crédito imobiliário, o que não acontecia há 17 meses. Como ao assumir a presidência da Caixa o Sr. afirmou que seu foco seria a habitação, o que mais se pode esperar nessa área para os próximos meses?

A expectativa é de uma maior celeridade no crescimento dos financiamentos, que devem consumir um orçamento estimado em mais de R$ 15 bilhões no SBPE em 2018. Além disso, o Feirão Caixa vem acontecendo por todo o Brasil no mês de maio, representando um volume alto de negócios encaminhados na habitação.

Entre as medidas que entraram em vigor em 16/4/2018, está o aumento do limite para financiamento de usados de 50% para 70%. Como o Sr. analisa o mercado de imóveis de terceiros e o que perspectivas vê para o mercado imobiliário como um todo?

Os principais indicadores da economia sinalizam melhoras na atividade econômica do nosso país, fato que influencia positivamente o mercado imobiliário. Nesse ambiente mais favorável e com disponibilidade orçamentária, já se pode notar a retomada de crescimento do mercado imobiliário em 2018.

Qual o índice de inadimplência nos financiamentos do crédito imobiliário hoje em termos de Caixa, qual o número de imóveis adjudicados e quais os planos que eles retornem ao mercado?

A Caixa fechou o índice de inadimplência habitacional em 1,37% em dezembro de 2017. Quanto aos imóveis Caixa, nosso estoque atual é de 45 mil unidades. Diversas ações de eficiência, negócios e comunicação vêm sendo implementadas pela Caixa no intuito de impulsionar a venda desses imóveis, como a forte presença do produto nos Feirões Caixa, redução do valor dos imóveis, credenciamento formal de corretores PF e PJ para aceleração do processo de venda e campanhas de marketing interno e externo. Em 2017, alcançamos a marca ímpar de R$ 1 bilhão em vendas. Com a adoção das estratégias citadas, houve acréscimo de mais de 100% nas vendas dos imóveis em um ano. A projeção de vendas para 2018 é de R$ 3 bilhões.

Como estão e o que há previsto em relação ao Minha Casa Minha Vida e ao Pró-Cotista? Novidades nessas áreas?

Em 2018, a meta de contratação do Minha Casa Minha Vida é de 650 mil novas unidades habitacionais, das quais 130 mil serão destinadas à Faixa I, 70 mil unidades para a Faixa 1 ½, 400 mil unidades para a Faixa 2 e 50 mil moradias para a Faixa 3. Quanto ao Pró-Cotista, o orçamento para 2018 já está definido. O objetivo é atingir R$ 3,5 bilhões de reais em contratações neste ano.

Como o Sr. vê a implantação da LIG como fonte de recursos para o crédito imobiliário? A Letra Imobiliária Garantida vai ser mesmo uma alternativa ao FGTS e a poupança para geração de recursos?

A LIG será uma importante fonte alternativa de recursos para o crédito imobiliário. O título está em fase final de regulamentação pelo Banco Central e ainda não está sendo emitido pelas instituições financeiras no país.

Como o Sr. vê o papel do corretor de imóveis em relação à atuação da Caixa no âmbito do mercado imobiliário?

O corretor é extremamente relevante para o mercado imobiliário, pois atua como consultor, deixando o comprador mais seguro da compra que irá realizar. É importante ressaltar a parceria que a Caixa tem com os corretores na venda dos Imóveis Caixa. Hoje, mais de 25% das vendas dos nossos imóveis são realizadas através de corretores credenciados, o que torna a parceria cada dia mais forte.